quarta-feira, 14 de abril de 2010

ENTREVISTA A JOAQUIM CUNHA - CRIADOR DE CANÁRIOS DE COR - JUIZ NACIONAL E INTERNACIONAL - VICE PRESIDENTE DO COLÉGIO NACIONAL DE JUIZES


Antes de mais queria-lhe agradecer o facto de ter aceitado responder a este questionário, o objectivo é divulgar o seu trabalho assim como ajudar os mais jovens nesta arte tão relaxante.. 


1.
Para iniciar o que nos pode dizer acerca de si? (Breve apresentação). 

R: Visita mais uma vez o meu blog. http://canarilcunhadebraga.blogspot.com/

2.
Por vezes não conseguimos explicar certas coisas, mas de onde vem este seu gosto por aves, neste caso canários? E o porquê de serem canários de cor? 

R: Vai dar para rir.

Sempre gostei de animais, tive imensos aquários ( + de 30 ) e criei muitas variedades de peixes, só que na altura não estava a aquariofilia tão avançada ( + de 25 anos ) e até que um dia ( mês de ferias, Agosto, pessoas soltam os animais para ir de ferias, a história…) o meu gato apanhou um canário e não o matou…. . A minha Mãe não o queria pois o meu Avô tinha um e quando faleceu o canário também morreu, daí essa aversão aos canários. Consegui dar a volta ao “texto” e a primeira acção foi comprar uma gaiola e de seguida ir a uma Livraria comprar um livro sobre canários. Comprei uns quantos e li-os todos em poucos dias.

Daí o começo põe este hobby.

Quanto a criar canários de cor em vez de porte deve-se a uma só razão, não se pode ter tudo e como tal acho a canaricultura de cor mais atractiva que a de porte. Houve alturas em que criava os dois tipos, mas as papas tem que ser diferentes, assim como as gaiolas de muda e muito mais e por tal optei pela cor


3.
Sei que cria bastantes raças de canários, algumas delas ainda em estudo, outras aprovadas muito recentemente.. Que raças mais especificamente cria de momento? 

R: Todas as que tenho no meu Blog.

4.
Com quantos casais criou a época passada, e quantos está a criar na Presente época? 

R: Não casais, tenho 80 gaiolas, dá para ver. Faço uma media 120 acasalamentos. 

5.
Após uma conversa que tivemos no colóquio que se realizou na sede do COP, expressou-se como criador da mutação Jaspe.. Mutação que eu admiro.. 
Sendo Juiz Nacional e Internacional, assim como vice-presidente do colégio nacional de juízes, e não só, que expectativa tem em relação a esta mutação? 

R: Ainda não tenho uma opinião definitiva, gosto do Negro e do Ágata em simples diluição. Pelo que vejo não sou fá da dupla diluição, a ver vamos no futuro com o aperfeiçoamento. Na minha maneira de ver e pelo que falei e constatei o problema è fixar as características nas remiges e retrizes. Quanto ao desenho è questão de aperfeiçoamento.

Quanto aos castanhos confesso que os que eu vi não me cativaram.

Mais, acho importante como Juiz conhecer todas as aves e ter conhecimento das mesmas 

6.
Agora fugindo um pouco ao assunto, e nos focalizarmos nas criações.. 
Para si, qual será o momento ideal para juntar os casais? Devemos apressar-nos ou esperar por temperaturas, ditas ideais, que ajudem os progenitores na árdua tarefa da criação? 

R: Acabei de juntar ontem de tarde (Sábado 3 de Abril) e ainda não tenho aves nascidas.

Foi um Inverno duro e prolongado e a Primavera está-se a ver.

Eu vou acasalando aos poucos e quando as fêmeas estão prontas assim como os machos, não gosto de os forçar.

Mais, o meu viveiro está num sitio frio, portanto… 

7.
Muitos criadores, eu inclusive, estão com um início frustrante nestas criações de 2010, desde mortes embrionárias ao abandono da postura e crias..
Sendo o amigo Joaquim criador à mais de 30 anos, e podendo assim fazer uma comparação, como associa este tipo de “fracassos”, será a temperatura, ou é normal tal acontecer na primeira postura? 

R: Confesso que não me lembro de eu ter uma fêmea que tenha abandonado o ninho. APRENDI QUE A PRESSA NÃO È BOA CONSELHEIRA.

Para mim a primeira postura tem sido a melhor.

Quanto aos “’problemas” são problemas que resultam duma má preparação dos progenitores, assim como também pode ser da temperatura e de outros factores mais.

Quanto às mortes embrionárias BBBBaaaaa o problema ou problemas podem ser vários, mas escrever aqui sobre isto, dava para ficar com o dedo dorido…

8.
Escolhe os seus reprodutores baseando-se no fenótipo ou genótipo? 

R:Quando adquiro um exemplar sei o que quero e o que tenho MAIS MEDO È AO GENOTIPO. 

9.
As suas baterias de criação e voadeiras têm que dimensões? 

R: Vários tamanhos, dentro de dias ponho umas fotos no meu blog
As de criação são na maioria è de 1mt para 2 casais, tenho algumas de 45 cm.
As baterias de muda são de 1.40 x.60x.50 e são 4. 1.00x.50.50.
Mais tenho 2 voadeiras de 2.00x1.00x1.20 e mais 2 de 1.40x1.40x1.20.
Dentro de dias ponho umas fotos no Blog 

10.
Concorda que um canaril com condições é grande passo para o sucesso das criações e exposições? 

R: SEM DUVIDA.
Sem nunca esquecer a máxima de 1casal para 1 metro cúbico. 

11.
Como aconselha o alojamento dos canários? Interior ou exterior? Porquê? 

R: Interior. Tem a ver com as temperaturas. 

12.
Como é que se prepara para uma exposição? Com quanto tempo se começa a preparar, isolando aves etc..?

R: Lá vai o dedo. Faço 2 tipos de acasalamentos;
acasalamento de progenitores, isto é fazer reprodutores, fazer a linha
acasalamento de exposição destes em principio nascem as aves de exposição.
Não isolo aves com muita antecedência, tenho um sistema interessante e dentro de dias coloco um artigo no blog com umas fotos interessantes.

O ÚNICO PROCEDIMENTO É 30 DIAS ANTES DUMA EXPO VERIFICAR SE TEM REMIGES/RETRIZES QUEBRADAS PARA AS ARRANCAR E VIR NOVAS A TEMPO

13.
Sei que já criou canários de Porte, o porquê de ter deixado o porte e iniciar-se na cor? 

R: Já respondi .

14.
Tendo sido Juiz de canários de cor no Mundial, teve a oportunidade de visualizar como ninguém a beleza das aves expostas.

Existiu alguma raça que lhe tenha chamado a atenção pela proximidade do standard definido? 

R:Todas as aves com mais de 90, 91 pontos estão em conformidade com o standard. As classes como por exemplo os vermelho mosaico machos entre outras tem sempre excelentes concorrentes, tanto em quantidade e qualidade num bom certame 

15.
O que considera, acima de tudo mais importante neste hobby? 

R: O gosto pela ornitologia desportiva. 

16.
Todos nos temos algum hábito que não abdicamos na ornitologia, por vezes esse hábito nem tem uma influência directa no sucesso das nossas aves, mas não abdicamos dele de maneira alguma. Possui algum hábito que não abdique realmente? 

R: MUITO CUIDADO COM AS AVES ADQUIRIDAS. 

17.
Que tipo de mistura usa? Só alpista ou uma mistura preparada de acordo com as necessidades e época dos seus canários? 

R: Verselaga Ligt e em certas épocas junto um pouco de alpista. 

18.
Fornece germinado as suas aves? Sempre ou só na criação? 

R: Não, nunca

19.
Que tratamento considera fundamental fazer todos os anos? 

R: Não è para rir, mas o que mais me preocupa È O TRATAMENTO AO PIOLHO, pois se aparece na época de criação pode dar cabo da época.

Quanto aos “outros” dentro de dias ponho no meu blog, mas estou à espera de resultados para os editar. 

20.
O que suplementos considera fundamentais? Adicionados a papa ou agua? 

R: Prefiro a papa, mas alguns têm que ser na água.

Sobre o que uso não o digo abertamente SÓ PELA RAZÃO DE UM COLEGA UM DIA MUDAR PARA O MEU SISTEMA E SE SENTIR MAL…
Osso do choco, grite… 

21.
No meu ponto de vista o registo do plantel é um passo para o sucesso da evolução dos descendentes.
Que tem a dizer a cerca do registo do plantel desde o nascimento aos concursos? 

R:Tenho registos desde que comecei a criar, os registos só me interessam para acasalamentos. As aves de exposição não me interessam pois as aves de exposição boas por vezes não são as melhores para criar. 

22.
Muita gente critica a qualidade das aves Portuguesas.. Mas depois destes últimos resultados no Mundial penso que muitas mentes já mudaram..

Como Juiz, como classifica a ornitologia em Portugal? 

R: Desculpa, mas só digo o seguinte

Ignorância, estupidez, ou dor de “cotovelo”.

Em ascensão. 

23.
Recentemente legalizaram em Portugal a Fauna Europeia, apesar de o colega Joaquim não criar Fauna, deve ter uma opinião formalizada á cerca deste assunto.. Concorda com esta nova legislação? 

R: Não sou apreciador. Gosto de os ver em estado natural, selvagem
Duma coisa tenho a certeza, não vou na moda de criar fauna. 

24.
Qual o seu principal objectivo na Ornitologia em geral? 

R: Ter o prazer de criar, concorrer e conhecer muitas pessoas e que algumas delas agora são grandes Amigos, também se arranja umas inimizades mas è como em tudo na vida. 

25.
Após ter dado este enorme contributo, coloco-lhe uma última questão:
Qual é a regra de ouro para quem se inicia neste hobby? 

R:O que resulta nos outros não è regra de ouro para nós. Não ser pena por nota. 


Agradeço novamente este enorme contributo e espera que as suas criações lhe estejam a correr pelo melhor.   


Cumprimentos,
Nuno Carvalho 

Entrevistador: Nuno Carvalho
Entrevistado: Joaquim Cunha


Nenhum comentário:

Postar um comentário