sexta-feira, 16 de outubro de 2009

CONCURSOS ORNITOLÓGICOS

Uma vez que se esta a aproximar a época de concursos é fundamental uma boa manutenção, selecção e preparação para os concursos, dai ter escrito este texto com com a introdução de ideias de Roque Rafael de Moraes . Contudo só coloquei o que acho fundamental e acrescentei aquilo que penso mais importante. Começaremos então por:


Pré selecção:

Desde o início que se deve começar por uma selecção dos filhotes, deve-se observar os filhotes já a partir do ninho, pois alguns destacam-se logo aí. Pode-se começar logo ai por uma pré-selecção, e quando os filhotes já estiverem com a muda completa, é o momento de começarmos a observar os melhores avaliando a forma, o tamanho, a cor, o canto…

Preparação das aves:

Na Preparação dos pássaros que se destinam a concurso devem ser vistoriados, um a um, com antecedência de no mínimo 60 dias. Durante este tempo convém disponibilizar um banho diário para que ave mantenha penas limpas evitando também que se alojem piolhos. Devemos observar todas as penas das asas e do rabo, retirando as quebradas e as prejudicadas para que nasçam penas novas, e não devemos nos esquecer de cortar as unhas quando necessário e procedermos uma limpeza das pernas e patas com uma aplicação de uma leve camada de pomada a base de cortisona, que as deixará com boa aparência e protegidas contra parasitas até o concurso. Após essas providências, devemos colocar cada pássaro em uma gaiola tipo exposição e prepara-lo com banhos de sol pela manhã, e uma boa alimentação balanceada para não engorda-lo em demasia e para dar-lhe resistência contra o stress, que toda exposição e julgamento provoca. Na semana que antecede o julgamento, adicionar 0,2 ml de glicerina líquida e 0,5 ml de vinagre de vinho branco a meio litro de água morna, agitar muito bem e dar banho com o auxilio de um pulverizador, para que a plumagem fique brilhante, macia, sedosa e aderente.

Transporte

Para transportar os pássaros até o local da exposição, utilize transportes com espaço suficiente, arejado, limpo, desinfectado e com Box individual e, divisórias fechadas para que o pássaro ao lado não prejudique com bicadas a plumagem do outro. Se a viagem for curta, não utilize água nem comida no transporte, porém se a viagem for longa, utilize bebedouros com algodão para não molhar o pássaro e comida seca para não sujar o mesmo. Dentro do possível, não pegue o pássaro com a mão, e antes de coloca-lo na gaiola de exposição, verifique as condições de higiene e segurança da mesma. Após coloca-lo na gaiola, verifique as condições da água e da comida que o manterá durante a exposição, tudo feito, pode entrar no clima de campeonato e começar a torcer.

Os acidentes inesperados:

Se antes do concurso verificar que uma pluma está torcida ou deteriorada, não deve arrancar essa pluma, pois vai-se ver a sua falta (especialmente nas rémiges e rectrizes), por isso, essa pluma deve ser reparada... Um bom método é o seguinte: introduzir a pluma em água a ferver, com muito cuidado de não escaldar o pássaro, colocar com muito cuidado a pluma direita, ou seja como deveria estar, de seguida introduzir a pluma em água muito fria. Desta maneira se corrigirá e estará colocada adequadamente.

ATENÇÃO, ESTE PROCEDIMENTO É DELICADO E PERIGOSO, TENHA SEMPRE EM ATENÇÃO PARA NÃO ESCALDAR A AVE.

Por fim, não se esqueçam que quando um pássaro regressa de um concurso, este pode alojar parasitas assim como podem ter sofrido de transtorno gástrico devido a mudança de comida, dai ser fundamental um cuidado acrescido na recepção da aves.

Cumprimentos,

Nuno Carvalho Stam 653-k

Nenhum comentário:

Postar um comentário